Bom dia, Visitante! (entrar - cadastro)

CMCR05

13 de maio, 2022 às 14:22

MS tem 3ª menor taxa de desemprego do País no trimestre, aponta o IBGE

Estado tem renda média que supera R$ 2 mil e segunda menor taxa de trabalhadores por conta própria

Mato Grosso do Sul registrou taxa de desemprego de 6,5% no primeiro trimestre de 2022, que vai de janeiro a março. É o que aponta a Pnad Contínua Trimestral (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua), divulgada nesta sexta-feira (13) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). 

O índice é o terceiro menor do País, com o Estado atrás de Mato Grosso (5,3%) e Santa Catarina (4,5%). Em todo o Brasil, a taxa de desemprego foi de 11,1%, com 12 milhões de brasileiros fora do mercado de trabalho.

Em relação aos últimos três meses de 2021, o índice em Mato Grosso do Sul oscilou apenas 0,1%. Apesar da leve alta, o IBGE considera que a taxa se mantém estável no Estado.
 
Tem carteira assinada 76,7% dos trabalhadores sul-mato-grossenses. O Estado ainda registrou a segunda menor taxa de pessoas trabalhando por conta própria, de 22,3%.
 
Outros números – O percentual de desalentados no 1° trimestre de 2022 foi de 1,8% no Estado. Essas pessoas são aquelas que estão desempregadas há vários meses e já desistiram de procurar emprego.
 
Outros 35,4% são considerados informais, ou seja, tem ocupação, mas não é fixa. Já a taxa composta de subutilização da força de trabalho (percentual de pessoas desocupadas, subocupadas por insuficiência de horas trabalhadas e na força de trabalho potencial em relação à força de trabalho ampliada) foi de 14,2%.
 
A renda média do sul-mato-grossense foi de R$ 2.741. No trimestre anterior, era R$ 2.642, ou seja, o número se manteve estável para o IBGE. 
 
Por Adriel Mattos - Campo Grande News

PMA 02
Imprimir


Charge da Semana

Confira as principais charges que estão circulando na internet.

COVID-19

» todas as charges

PUBLICIDADE

CRF Anuncie

Entrevistas / Artigos

Paulo César Regis de Souza

Previdência Social – 100 anos

Nayara Felizardo, repórter Intercept

Quando o assédio vem da Justiça

» todas as entrevistas e artigos

Siga-nos

FacebookTwitter


Jornalismo com credibilidade na região norte!