Bom dia, Visitante! (entrar - cadastro)

ALEMS 05

22 de junho, 2022 às 13:20

Major Carvalho, o “Escobar brasileiro”, é preso na Hungria

O ex-policial sul-mato-grossense chegou a forjar sua própria morte para escapar da polícia

Após anos foragido e até um atestado falso de morte, foi preso na terça-feira (21) um dos maiores traficantes de cocaína do Brasil, o ex-major da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, Sérgio Roberto de Carvalho, conhecido como Major Carvalho. O traficante, que é chamado de “Escobar brasileiro” na Europa, foi encontrado na Hungria.
 
Conforme informações do site CNN Portugal, Major Carvalho vivia no país com documentos falsos, assim como morou em Portugal e na Espanha. Dessa vez, no entanto, acabou identificado e detido pelas autoridades húngaras.
 
Carvalho é foragido da justiça brasileira, portuguesa e espanhola. É apontado como um dos principais nomes no tráfico de cocaína para a Europa e já foi condenado a 13 anos pelo crime na Espanha. Antes disso, viveu por anos no exterior sob a identidade de Paul Wouter. Além do nome falso, se passou por um grande investidor e chegou a comprar uma empresa imobiliária em Portugal para legalizar seus negócios no país.
 
Investigações da Polícia Federal apontaram que as empresas abertas por “Paul Wouter” foram usadas para lavar o dinheiro que ele ganhava com a venda de toneladas de cocaína nos países europeus. Até da pandemia o “Escobar brasileiro” fez um “mercado lucrativo” para o tráfico: investiu na compra de milhões de máscaras e EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) da China e revendeu no Brasil.
 
Quando descoberto, chegou a forjar a própria morte com um atestado falso assinado por um médico de Málaga. Mas a farsa foi descoberta pela Polícia Federal brasileira e as autoridades espanholas comunicadas. A defesa dele, no entanto, sempre reforçou a morte de Carvalho e pediu até a extinção dos processos contra ele na justiça brasileira.
 
O esquema do “Escobar brasileiro”
Considerado o “Escobar brasileiro”, referência ao narcotraficante Pablo Escobar, Sérgio Roberto de Carvalho lidera hoje uma organização criminosa especializada no tráfico de drogas marítimo, terrestre e aéreo para Portugal, Espanha, Itália, Bélgica, Holanda e Alemanha.
 
Operações da Polícia Federal apontam que Carvalho é quem gerencia as grandes remessas enviadas a Europa e cuida tanto do contato com os fornecedores, como do recebimento seguro das cargas.
 
Além de administrar o envio da cocaína pelos portos brasileiros, também está envolvido na aquisição de embarcações pesqueiras, aeronaves, criação fictícia de empresa em nome de terceiros, no uso de documentos falsos e na ocultação de bens. Tudo para garantir os “negócios ilegais”, sem chamar atenção das autoridades.
 
Para a polícia, o ex-policial militar controla, pelo menos, seis organizações criminosas que atuam em diversas regiões do Brasil. São eles: Grupo Marcio Cristo, liderado por Marcio Luiz Cristo e Luiz Carlos Bonzato Sgarioni e o Grupo Zoio, liderado por Jorge Santos Zela e Mauricio Luis Pinheiro Rodrigues, ambos com atuação em Paranaguá; o Grupo Logístico, liderado por Marlindo Ferreira da Silva e Nildo Vital de Oliveira, em São Paulo; o Grupo Frutas Nordeste e o Grupo Barcos Natal e, por fim, o Grupo Rio Preto.
Por Geisy Garnes / Primeira Página

CMCR 02
Imprimir


Eu ou

Nós?

Água mole em pedra dura...

Tanto bate até que fura

Charge da Semana

Confira as principais charges que estão circulando na internet.

COVID-19

» todas as charges

PUBLICIDADE

CRF Denuncie

Entrevistas / Artigos

Paulo César Regis de Souza

Previdência Social – 100 anos

Nayara Felizardo, repórter Intercept

Quando o assédio vem da Justiça

» todas as entrevistas e artigos

Siga-nos

FacebookTwitter


Jornalismo com credibilidade na região norte!