Costa Rica 25 ℃

Estuprador de estudante é reconhecido por mais três vítimas

Preso confessa apenas crime ocorrido no campus da UFMS

Publicado em 13/04/2011 11:57

Acusado de estupro foi apresentado hoje pela manhã

Autor confesso do estupro de uma estudante ocorrido segunda-feira no campus da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), Robson Vander Lan, 29 anos, foi reconhecido em outros três casos de violência sexual ocorridos em Campo Grande no mês passado.

Por meio de fotos divulgadas pela imprensa elas identificaram o estuprador e comunicaram à Polícia.

Ele será indiciado também por estupro contra mulheres violentadas no Bairro Nova Lima, Aero Rancho e Avenida Euler de Azevedo.

Os casos já eram investigados pela Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), segundo a delegada responsável pelo caso, Cristiane Grossi.

No entanto, Robson nega os crimes. “Vou assumir só o que eu fiz”, completa.

Robson afirma que a intenção era de assaltar a estudante no campus da UFMS, no entanto, a vítima tinha apenas R$ 10,00.

Questionado acerca do motivo que o levou a violentar a moça, o rapaz resume: “Deu um desacerto”.

Na manhã de segunda-feira, armado com um canivete, Robson surpreendeu a estudante em uma ponte que dá acesso ao laboratório de química.

A vítima se manteve calma e perguntou por diversas vezes se ele iria matá-lo. Diante da negativa do rapaz, ela o convenceu a jogar fora a arma.

Ele mandou a estudante ficar com os olhos fechados, provavelmente para não ser reconhecido.

A acadêmica ouviu um barulho de pessoas que estavam perto do local do estupro e, por medo de morrer, correu ainda nua.

Um casal que passava pelo local ajudou a vítima.

Em relação aos antecedentes criminais, que acumula desde os 12 anos, ele diz que não vai comentar porque “não vem ao caso”.

Segundo a Polícia, o primeiro crime ele cometeu aos 12 anos, quando na companhia de amigos estuprou e queimou a vítima.

Há cerca de 10 anos ele matou a namorada grávida a facadas. Pelo crime ele ficou preso até agosto de 2009.

Depois deste período, ele praticou furtos, também segundo a Polícia.

Apresentado à imprensa esta manhã na sede da DGPC (Diretoria Geral da Polícia Civil), Robson demonstrou frieza.

Ele se apresentou à PM (Polícia Militar) ontem à tarde e disse que tinha dívidas com a Justiça.

Robson era perseguido pela Polícia Civil e Militar desde o dia do crime e tinha planos de fugir para Três Lagoas, conforme as investigações apontaram.

Entretanto ele afirmou esta manhã que não tinha interesse de abandonar a cidade. “Se eu quisesse fugir eu fugiria. A Polícia não teria pego”, conclui.

(Campo Grande News)

SIGA-NOS NO Costa Rica em Foco no Google News

Pode te Interessar