Costa Rica 20 ℃

Giroto é escolhido candidato a prefeito de Campo Grande e grupo deflagra campanha

Giroto disse que é um homem de grupo e que ouvirá as duas principais lideranças

Publicado em 06/03/2012 09:14

Da esquerda para direita Maria Antonieta Trad, André Puccinelli, Nelsinho Trad e Edson Giroto (Foto: Gerson Oliveira/Cor

Vencedor das pesquisas para consumo interno do PMDB, o deputado federal Edson Giroto prometeu, durante discurso no ato do anúncio de sua pré-candidatura à prefeitura de Campo Grande, seguir as orientações do governador André Puccinelli e do prefeito Nelsinho Trad.

Giroto disse que é um homem de grupo e que ouvirá as duas principais lideranças antes de tomar qualquer atitude.

“Vou procurar sempre seguir os conselhos do André e do Nelsinho, porque eles são experientes e sabem das dificuldades. Sou um homem de grupo”.

Giroto venceu as pesquisas internas disputando a indicação com o presidente da Câmara de Vereadores, Paulo Siufi (PMDB) e com o deputado federal Luiz Henrique Mandetta (DEM), os quais acompanharam o ato político de anúncio do nome do correligionário, ocorrido no diretório regional do PMDB, e prometeram apoio.

“Eu já havia dito que o candidato sairia de pesquisas, se fosse o Mandetta seria o Mandetta, se fosse o Giroto, seria o Giroto, se fosse o Paulo Siufi, seria o Paulo Siufi. Qualquer um deles teria o apoio do grupo”, reforçou o governador em entrevista a imprensa, após o encontro.

O governador reforçou que agora, com o candidato escolhido, o PMDB tem que procurar todo mundo para conversar, até o PT.

André defendeu ainda a união de 15 ou mais partidos repetindo a aliança conquistada por ele na eleição para o governo do Estado em 2010.

O André também disse que se havia alguma dúvida até agora que não haja mais, pois o Nelsinho é o único nome que ele apoia para o governo estadual nas eleições de 2014.

“Quero retificar uma informação, o comandante de todo o processo de escolha do Giroto foi o Nelsinho Trad, o meu candidato a governador em 2014”, acrescentou.

O governador disse isso depois da presidente do diretório municipal do PMDB, Carla Stephanini, anunciar ele como o principal condutor do processo sucessório em Campo Grande.

Em discurso, Nelsinho disse que com o governador "aprendi a lição do alpinismo, ou seja, quando se sobe é preciso parar para estender a mão a quem está em baixo".

ADVERSÁRIOS
Apesar das articulações de bastidores visando impedir eventuais rompimentos na base aliada, o PMDB deve ir para o confronto sem a força de coalização que mantém uma hegemonia de mais de duas décadas à frente do maior colégio eleitoral de Mato Grosso do Sul.

Ainda assim, o partido nutre esperanças em contar com o apoio de PSDB e PPS, aliados dispostos a oficializar em convenção as candidaturas do deputado federal Reinaldo Azambuja e do vereador Athayde Nery.

Tido como candidato ‘carta marcada’ desde que deixou o PR para retornar ao partido, Giroto terá como principal adversário o também deputado federal Vander Loubet (PT).

A indicação do nome de Giroto já havia sido confirmada pelo comando nacional do PMDB ao anunciar que seu programa em rede de televisão, veiculado em 19 de janeiro, iria priorizar os candidatos a prefeito em várias capitais, entre os quais Gabriel Chalita (SP), Eduardo Paes (Rio) e Mário Kertesz (Salvador).

Em entrevista na semana passada, Giroto já falava como pré-candidato ao se dizer muito à vontade para postular o cargo e por fazer parte do grupo político há muito tempo.

“Minhas chances são boas. Sem desmerecer ninguém, acredito que conheço Campo Grande como nem outro que postula a indicação”, disse.

Durante a entrevista, ele reforçou sua intenção de administrar Campo Grande e disse contar com apoio de muita gente para vencer a eleição.

“Quero ser prefeito porque conheço bem Campo Grande e suas pessoas, porque sei onde buscar os recursos que a cidade precisa e porque tenho experiência administrativa”, enfatizou.

Fonte: Conjuntura Online/Willams Araújo

SIGA-NOS NO Costa Rica em Foco no Google News

Pode te Interessar