Costa Rica 20 ℃

Três Lagoas terá Audiência Pública para discutir o enfrentamento e combate ao Crack

Rocha argumentou que o uso de drogas, principalmente por parte dos jovens vem causando prejuízos avassaladores

Publicado em 15/08/2011 07:32

Será realizada nesta segunda-feira (15), na Câmara de Vereadores de Três Lagoas, a audiência pública sobre o “Enfrentamento e Combate ao Crack”, proposta pelo deputado estadual Eduardo Rocha, líder do PMDB.

Na programação estão previstas palestras com representantes de vários setores que trabalham com o combate às drogas. Dentre eles, a secretária estadual de Assistência Social, Tânia Mara Garib; o promotor de justiça Sérgio Fernando Harfouche e o deputado federal Luiz Henrique Mandetta, membro da comissão Especial de Políticas Públicas de Combate às Drogas da Câmara Federal.

O projeto de lei do deputado Eduardo Rocha, que institui a Semana de Enfrentamento e Combate ao Crack foi aprovado em maio e esta audiência será o primeiro evento na programação. Para o deputado, é preciso um esforço conjunto e forte para combater o crack, que denominou de “mal do século”. Segundo ele, a discussão vai trazer à tona um problema que vem preocupando a família brasileira e que a cada dia, destrói lares e jovens.

Conforme o projeto fica instituído, a partir deste ano, a “Semana de Enfrentamento e Combate ao Crack no Estado de Mato Grosso do Sul”, que será sempre na terceira semana do mês de junho de cada ano, com a participação da sociedade, do Conselho Estadual Antidrogas - CEAD/MS e dos demais órgãos que compõem o Sistema Estadual Antidrogas, eventos para o enfrentamento e combate ao Crack, com debates, palestras nas escolas e em locais públicos, com objetivo de conscientizar a população em geral, acerca dos nefastos efeitos que essa droga exerce no organismo, bem como de seu alto poder destrutivo das famílias e da comunidade.

Rocha argumentou que o uso de drogas, principalmente por parte dos jovens vem causando prejuízos avassaladores.

- Me preocupa o uso indiscriminado e o aumento do número de usuários de crack e a violência gerada, devido ao uso indiscriminado dessa substância, disse. Ele destacou ainda que pretende provocar uma discussão onde o foco será a prevenção juntamente com ações de repressão e ressocialização, chamando a atenção para a gravidade e o poder de destruição junto a sociedade e as famílias. (Com assessoria).

SIGA-NOS NO Costa Rica em Foco no Google News

Pode te Interessar