Bom dia, Visitante! (entrar - cadastro)

ALMS_5

25 de outubro, 2021 às 12:01

Petrobras anuncia novo reajuste e gasolina ficará mais cara em Mato Grosso do Sul

Sinpetro diz que data para reajuste dependerá de cada proprietário, mas que o aumento pode ser repassado ao consumidor ainda hoje

Foto: Divulgação

A Petrobras anunciou hoje (25) que vai reajustar os preços da gasolina e do diesel em suas refinarias a partir de amanhã (26). 
 
No entanto, em Mato Grosso do Sul, o valor já pode subir ainda nesta segunda-feira, conforme o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo e Lubrificantes MS (Sinpetro).
 
O litro da gasolina vendido pela empresa às distribuidoras passará de R$ 2,98 para R$ 3,19, o que representa um aumento de R$ 0,21 ou de cerca de 7%.
 
Já o litro do diesel passará a ser vendido por R$ 3,34 nas refinarias da Petrobras, o que representa um aumento de cerca de 9% sobre o preço médio atual, de R$ 3,06. 
 
Segundo o diretor-executivo do Sinpetro/MS, Edson Lazarotto, os proprietários de postos que comprarem combustível a partir desta tarde, já poderão ter o reajuste no preço final.
 
Isto porque, segundo ele, os proprietários de postos que comprarem o combustível hoje já irão adquirir o valor reajuste, repassando o preço nas bombas.
 
"A data para o aumento do preço dependerá de cada proprietário", afirmou Lazarotto.
 
Conforme a última pesquisa da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), divulgada no último sábado (23), o preço médio da gasolina era de R$ 6,231 no Estado, enquanto o menor e maior valor eram de R$ 5,999 e R$ 6.660, respectivamente.
 
A Petrobras afirma que a parcela da gasolina vendida nas refinarias no preço final do produto encontrado nos postos chegará a R$ 2,33, com um aumento de R$ 0,15. 
 
A variação é menor que os R$ 0,21 de reajuste nas refinarias porque a gasolina tem uma mistura obrigatória de 27% de etanol anidro.
 
Já o litro do diesel passará a ser vendido por R$ 3,34 nas refinarias da Petrobras, o que representa um aumento de cerca de 9% sobre o preço médio atual, de R$ 3,06.  
 
No caso do diesel, a Petrobras calcula que o impacto para o consumidor final seja um aumento de R$ 0,24, porque o diesel vendido nos postos tem uma mistura obrigatória de 12% de biodiesel.
 
No relatório da ANP, o valor médio do diesel era de R$ 4,904 enquanto o menor e maior valor eram de R$ 4,599 e R$ 5,346, respectivamente.
 
A Petrobras justifica que os reajustes no preço garantem que o mercado "siga sendo suprido em bases econômicas e sem riscos de desabastecimento".
 
"O alinhamento de preços ao mercado internacional se mostra especialmente relevante no momento que vivenciamos, com a demanda atípica recebida pela Petrobras para o mês de novembro de 2021", afirma a empresa.
 
"Os ajustes refletem também parte da elevação nos patamares internacionais de preços de petróleo, impactados pela oferta limitada frente ao crescimento da demanda mundial, e da taxa de câmbio", completam.
 
Este é o segundo reajuste no preço da gasolina neste mês.
 
No dia 9 de outubro, entrou em vigor reajuste de 7,2%, segundo a estatal, para compensar parte da elevação das cotações internacionais do produto. 
 
A Petrobras também aumentou o preço do gás de cozinha, no mesmo percentual.
Por Alicia Miyashiro / Correio do Estado - com agências

PMA 02 - Orientação Covid
Imprimir


Charge da Semana

Confira as principais charges que estão circulando na internet.

COVID-19

» todas as charges

PUBLICIDADE

All Gas

Entrevistas / Artigos

Reflexão Paiva Neto

Paz para o Milênio

» todas as entrevistas e artigos

Siga-nos

FacebookTwitter


Jornalismo com credibilidade na região norte!