Costa Rica 25 ℃

Eduardo Rocha critica legalização de carros roubados na Bolívia

Cerca de 128 mil veículos foram inscritos no programa de nacionalização dos veículos

Publicado em 07/07/2011 18:05

O deputado Eduardo Rocha criticou duramente o Governo da Bolívia pela nacionalização dos carros sem documentos. A legalização desses carros, a maioria roubados no Brasil, começou na segunda-feira (04). O deputado também cobrou uma ação mais efetiva do Itamaraty e do Ministério das Relações Exteriores, que além de não ter se manifestado, ainda não remeteu para aquele País a lista de carros roubados no Brasil. No dia 9 de junho, o presidente da Bolívia, Evo Morales, decidiu legalizar veículos sem documentação regular que circulam pelo País. Cerca de 128 mil veículos foram inscritos no programa de nacionalização dos veículos, uma quantidade 12 vezes maior do que a esperada pelo governo boliviano, que estimava o cadastramento de apenas 10 mil carros.

A presidente-executiva da Alfândega da Bolívia, Marlene Ardaya, disse que o país pretende devolver ao Brasil os carros, motos e caminhões roubados que possam estar no território boliviano. Ela está esperando, entretanto, que o Brasil entregue a autoridades bolivianas um documento listando esses veículos. Argentina e Chile já enviaram as listas para a Alfândega boliviana, mas o mesmo não foi feito pelo Brasil.

A situação preocupa o deputado Eduardo Rocha (PMDB), já que muitos veículos dos quais ingressaram na Bolívia foram contrabandeados de Mato Grosso do Sul. “Estou indignado. A Bolívia está legalizando os veículos roubados do povo brasileiro. Quero que o Governo Federal, através do Ministério das Relações Exteriores, defenda nossa nação”, afirmou. Segundo Rocha, os órgãos de segurança pública brasileiros também temem a decisão do governo boliviano. “Não há dúvida de que a legalização dos veículos roubados irá estimular o narcotráfico, pois serão moedas de troca junto aos traficantes”, disse.

Além disso, a medida poderá causar impacto no valor dos seguros. “Se os crimes de roubo e furto crescerem, as seguradoras já adiantaram que haverá impacto nos valores de seguro”, acrescentou. O prazo para o cidadão nacionalizar o veículo é de 15 dias. A partir de então, as autoridades terão três meses para concluir o processo. Funcionários da aduana boliviana vão verificar se os números do chassi e do motor batem e se eles não foram adulterados. Se estiver tudo certo com o veículo ele será legalizado. Caso contrário, a Bolívia se compromete a entregar os veículos roubados aos países de origem, como o Brasil. Para o deputado é preciso uma ação mais enérgica por parte do governo brasileiro para impedir esse processo, que vai estimular ainda mais o roubo de carros no Brasil.

SIGA-NOS NO Costa Rica em Foco no Google News

Pode te Interessar