Costa Rica 25 ℃
Polícia de Mato Grosso do Sul montou barreiras em várias cidades
Os criminosos saíram da agência dando tiros para o alto como forma de intimidação (Foto: Divulgação)

Polícia de Mato Grosso do Sul montou barreiras em várias cidades

Objetivo era impedir funga de assaltantes do BB em MT para MS

Publicado em 04/05/2011 11:12

A Polícia Civil de Costa Rica, PMA – Polícia Militar Ambiental e Polícia Militar se mobilizaram na noite de ontem (03), para coibir a fuga dos assaltantes da Agência do Banco do Brasil, em Itiquira (MT), para o município.

Os policiais montaram uma barreira na saída de Alcinópolis no sentido de oprimir a entrada do bando em Costa Rica. Nos municípios vizinhos equipes da COB – Comando de Operações do Bolsão e CIGCOE - Companhia Independente de Gerenciamento de Crises e Operações Especiais também reforçaram o policiamento na região.

Buscas
Policiais militares de Rondonópolis, Cuiabá, dos estados de Mato Grosso do Sul e Goiás se reuniram em Itiquira na manhã desta quarta-feira (4) para definir estratégias de buscas à quadrilha que assaltou no início da tarde de ontem (3) uma agência do Banco do Brasil na cidade.

O efetivo é composto por 50 homens, sendo 20 policiais de Rondonópolis, seis de Goiás, oito de Mato Grosso do Sul, oito do BOPE - Batalhão de Operações Especiais e oito da CIOPAER - Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas, que também deslocou um helicóptero para a região. Um avião também está sendo utilizado.

A Polícia acredita que os assaltantes ainda estão na região, escondidos dentro da mata. Foram montadas barreiras em Alto Taquari (MT), Alto Araguaia (MT) e na região de Sonora (MS).

O bando que invadiu o banco era composto por seis homens, mas a Polícia trabalha com a hipótese de ter mais envolvidos que possam ter esperado na rota de fuga. Após o assalto, o bando seguiu com cerca de 12 reféns pela Estrada do Engano, na MT 299, que liga Itiquira a Alto Araguaia.

Cinco quilômetros depois liberaram os reféns e atearam fogo a um veículo Hylux e em uma ponte. Na manhã de hoje, às 6h, a Polícia encontrou outro veículo utilizado, uma caminhote L200, abandonado 2 km após o local do incêndio.

AK-47
A quadrilha que roubou o Banco do Brasil usava fuzil AK-47, a afirmação foi feita por um policial da Força Tática da Polícia Militar, logo após encontrar as cápsulas caídas em frente ao Banco do Brasil do município. O AK-47 é um fuzil automático, que usa munição calibre 7.62, de 39 milímetros, e pode disparar até 600 tiros por minuto.

A arma entra no Brasil por meio do mercado negro – provavelmente pelas fronteiras com o Paraguai e a Bolívia, o que levanta a suspeita que os bandos que assaltam bancos em Mato Grosso estão reforçando o armamento. Outra hipótese é que integrantes de facções criminosas do Rio de Janeiro, que usam esse tipo de fuzil, estejam agindo em Mato Grosso. Com informações Olhar Direto.

SIGA-NOS NO Costa Rica em Foco no Google News

Pode te Interessar