Costa Rica 21 ℃

Fora do poder desde 2008, ex-prefeitos preparam vôo de volta às prefeituras

André disse que Waldeli é um grande companheiro o qual preza muito

Publicado em 09/08/2011 13:12

André, Júnior Mochi e Waldeli (Foto: Luciana Aguiar)

Fora do poder desde 2008, quando a maioria não participou das últimas eleições municipais em razão de cumprir segundo mandato consecutivo, ex-prefeitos preparam vôo de volta às prefeituras em 2012.

Enquanto a maioria deles continua no “sereno político” desde o último pleito, outros atuam em seus partidos ou prestam assessoria para o governo estadual, como são os casos dos ex-prefeitos de Jateí, Eraldo Jorge Leite (PR); de Ribas do Rio Pardo, Zé Cabelo (PSDB); e de Nova Andradina, Roberto Hashioka (PMDB), nomeado pelo governador André Puccinelli (PMDB) diretor-presidente da Agepan (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos).

Candidato a seu terceiro mandato, o ex-prefeito de Sidrolândia, Enelvo Felini, exerce a função de secretário-executivo no diretório regional do PSDB.

Empresário bem-sucedido, o ex-prefeito de Costa Rica, Waldeli dos Santos Rosa (sem partido), deve procurar abrigo no PR para disputar a prefeitura da cidade nas eleições do ano que vem.

Waldeli, que foi obrigado a deixar o PMDB por causa de divergências políticas com o prefeito Jesus Baird, que deve postular à reeleição, conta inclusive com o apoio do governador André Puccinelli mesmo concorrendo por outra legenda.

"O Waldeli provavelmente irá para o PR. A escolha é dele, e o partido que ele for terá meu apoio, garantiu o  governador durante entrevista à imprensa ao participar sábado da 8ª Festa do Leitão no Rolete, em São Gabriel do Oeste.

Durante a entrevista, o governador lamentou a saída do ex-prefeito do PMDB, mas destacou seu trabalho à frente da prefeitura de Costa Rica, cidade que administrou por dois mandatos consecutivos.

"Infelizmente, com muito sentimento, grandes companheiros do meu PMDB, o Waldeli, e o prefeito Jesus Baird não conseguem conciliar, não os seus interesses, mas os interesses dos grupos políticos. São igual a dois filhos queridos do mesmo pai André, que um se emancipa e sai da casa do pai e vai para outro destino, e nem por isso deixa de ter o carinho do pai", declarou.

André disse que Waldeli é um grande companheiro o qual preza muito. "Gosto dele muito, da sua competência, ousadia e ainda tentaremos conciliar na questão da disputa eleitoral que se avizinha. Mas sem sobra de dúvidas o Waldeli tem e terá o meu apreço sempre, acrescentou Puccinelli.

PESQUISAS
Credenciados a voltar a serem prefeitos pelo bom trabalho que exerceram no passado, alguns deles também foram presidente da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), como são os casos de Eraldo Jorge Leite, Enelvo Felini e Waldeli.

De olho no processo sucessório do ano que vem, as pesquisas de opinião pública têm sido o critério adotado pelos partidos nos quais são filiados visando se articular rumo ao caminho de volta às prefeituras.

Pesquisa realizada nos dias 16 e 17 de julho pelo IPEMS aponta a preferência do eleitor de Sidrolândia pelo retorno de Enelvo Felini ao comando do município.

Depois de ouvir 300 eleitores com idade acima de 16 anos, o IPEMS apresentou números que mostram grande vantagem de Enelvo sobre os outros possíveis candidatos.

Com margem de erro de 5,66%, num intervalo de confiança de 95% sobre os resultados encontrados na amostra, a pesquisa contemplou a área urbana, a aldeia, o distrito e os assentamentos medindo o mercado eleitoral, delineando os níveis de conhecimento dos eleitores em relação aos políticos locais, a imagem e a rejeição de cada um.

Em cada um dos itens medidos o tucano, que já foi prefeito no município por dois mandatos (de 1997 a 2004) obteve a melhor performance. (Conjuntura Online).

SIGA-NOS NO Costa Rica em Foco no Google News

Pode te Interessar