Bom dia, Visitante! (entrar - cadastro)

CMCR 08 - Agosto Lilás

30 de novembro, 2011 às 08:59

Jornalista é condenado a 14 anos de prisão

Ele continuará recolhido no presídio de trânsito onde já está há 1 ano e oito meses

Da redação

O jornalista Agnaldo Ferreira Gonçalves. 62 anos, foi condenado nesta terça-feira (29), em Campo Grande, a 14 anos, cinco meses e nove dias em regime fechado, por homicídio simples, tentativa de homicídio e porte ilegal de arma. Ele continuará recolhido no presídio de trânsito onde já está há 1 ano e oito meses.

 

Numa briga de trânsito, no dia 18 de novembro de 2009, ele atirou e matou Rogério Mendonça Pedra, de dois anos. Os disparos foram feitos contra uma caminhonete L-200 onde estavam a criança, seu tio Aldemir Pedra Neto, a irmã e o avô João Afonso Pedra.

 

Aldemir foi quem envolveu-se na briga com Agnaldo.

 

O advogado de defesa Valdir Custódio disse que vai recorrer da decisão por detalhes técnicos no processo.

 

Agnaldo deverá ficar preso em regime fechado por seis meses e, após, deverá cumprir a pena no semi-aberto.

 

O juiz Alexandre Tsuyoshi Ito, da 1ª Vara do Tribunal do Júri, reduziu a pena no caso de tentativa de homicídio pois entendeu que o tio de Rogerinho contribuiu para que ocorresse o crime.

 

Crime
A briga de trânsito entre Agnaldo e Aldemir, tio de Rogerinho, começou na Avenida Mato Grosso esquina com Ernesto Geisel. No cruzamento da Mato Grosso com Rua Rui Barbosa, o dono de jornal atirou contra a caminhonete de Aldemir, matando a criança e ferindo o avô do menino.

 

Agnaldo está preso desde setembro do ano passado. Ele teve a prisão preventiva decretada pela primeira vez no dia do crime. Em 8 de fevereiro do ano passado o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul concedeu Habeas Corpus (HC), mas em 28 de maio do mesmo ano ele foi preso novamente para garantia da aplicação da lei penal. Novo HC foi concedido pelo Tribunal em 18 de junho. Já em primeiro de setembro Agnaldo teve a prisão decretada mais uma vez.

Fonte: Correio do Estado


CMCR 07
Imprimir


Eu ou

Nós?

Água mole em pedra dura...

Tanto bate até que fura

Charge da Semana

Confira as principais charges que estão circulando na internet.

COVID-19

» todas as charges

PUBLICIDADE

CRF Anuncie

Entrevistas / Artigos

João Luis Fedel Gonçalves

Leigas e Leigos são esperança da Igreja

Silvia Chakian, promotora de Justiça do Ministério Público

Por que a maioria das mulheres não denunciam crimes de assédio e violência sexual?

» todas as entrevistas e artigos

Siga-nos

FacebookTwitter


Jornalismo com credibilidade na região norte!