Costa Rica 25 ℃

Mapa publica reconhecimento da ZAV como área livre de Aftosa em MS

A instrução normativa definiu 15 postos de fiscalização sanitária fixo em municípios

Publicado em 12/04/2011 20:59

O Mapa (Ministério da Agricultura e Pecuária) publicou no Diário Oficial da União desta terça-feira (22), o reconhecimento a ZAV (Zona de Alta Vigilância) implantada nas regiões de fronteira entre Mato Grosso do Sul e o Paraguai e a Bolívia como zona livre de febre aftosa com vacinação.

O ministro da Agricultura, Wagner Rossi, assinou ontem (21), a instrução normativa que definiu o que muda para os produtores dos municípios da ZAV (Zona de Alta Vigilância) após a OIE (Organização Mundial de Saúde animal) reconhecer, no dia 4 de fevereiro, a região como área livre de aftosa.

A instrução normativa definiu 15 postos de fiscalização sanitária fixo em municípios da região da ZAV, que deverão monitorar o trânsito dos animais na região de fronteira.

A Zona de Alta Vigilância é uma área que compreende 15 quilômetros de largura ao longo de mil quilômetros de fronteira com Bolívia e Paraguai. São 13 municípios que compõem a ZAV: Antônio João, Aral Moreira, Bela Vista, Caracol, Coronel Sapucaia, Corumbá, Japorã, Ladário, Mundo Novo, Paranhos, Ponta Porã, Porto Murtinho e Sete Quedas. São pelo menos 800 mil cabeças de gado na região.

Com o reconhecimento da ZAV de Mato Grosso do Sul pela OIE como livre de febre aftosa, o Estado passou a ter um status único de classificação e a exportação de carne nas fazendas da região volta ao normal. Em 2001, MS já havia alcançado o status de livre de febre aftosa com vacinação, porém com o surgimento de um Nov foco da doença, em 2005, os organismos internacionais decidiu suspender esse reconhecimento.

(Campo Grande News)

SIGA-NOS NO Costa Rica em Foco no Google News

Pode te Interessar