Costa Rica 30 ℃

Polícia civil apresenta resultados da investigação do caso Marielly

Os detalhes serão passados na próxima segunda-feira durante entrevista coletiva

Publicado em 17/06/2011 08:54

A DEH (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Homicídio), o IMOL (Instituto de Medicina e Odontologia Legal), o ICHM (Instituto de Criminalística Hercílio Macellaro) e o IIGP (Instituto de Identificação Gonçalo Pereira) apresentarão, durante entrevista coletiva, detalhes da Investigação, identificação, exame perinecroscópico (proximidade do local onde o corpo foi encontrado) e exame necroscópico procedido no corpo da jovem Marielly Barbosa Rodrigues.

Marielly desapareceu de sua residência, em Campo Grande-MS, no dia 21 de maio de 2011, não sendo mais vista desde a tarde daquele dia. Tal fato foi registrado na DEPAC Centro, BO 9781/2011, no dia 22/05/2011.

A DEH passou a investigar o desaparecimento. Nenhuma evidência de eventual paradeiro ou de sua morte havia sido detectada, até que surgiu a informação, em 11/06/2011, por volta das 14h00, da localização de um corpo de pessoa do sexo feminino, com aparelho ortodôndico nos dentes, na fazenda Passatempo, no município de Sidrolândia. O corpo estava em adiantado estado de decomposição. Tal fato foi registrado no BO 1157/2011/DP de Sidrolândia.

Sendo o corpo do sexo feminino, presença de aparelho nos dentes, como Marielly tinha, corpo em decomposição com data da morte compatível com o seu desaparecimento, davam sinais de que se tratava do corpo dela.

O Instituto de Identificação promoveu o exame necrodatiloscópico no corpo encontrado em Sidrolândia, ou seja, comparou as digitais das mãos do corpo encontrado com as digitais do prontuário do RG 1477118 pertencente a Marielly Barbosa Rodrigues tendo os peritos papiloscopistas afirmado em laudo que as impressões digitais pertencem a uma mesma pessoa. Logo, está identificado que o corpo encontrado é de Marielly Barbosa Rodrigues.

O trabalho executado pelo Instituto de Identificação é digno de elogios, pois a leitura das impressões digitais de um corpo humano em adiantado estado de decomposição, como foi o caso, só é possível com um trabalho artesanal, metódico, demorado e paciencioso de reidratação das papilas para possível coleta e leitura das mesmas, para possibilitar o confronto.

Outra perícia importante é a necropsia. O exame do corpo de Marielly. Várias perguntas se apresentam. Data provável da morte. Causa da morte etc.

Diante de alguns trabalhos que estão ainda sendo feitos, a entrevista coletiva está marcada somente para a próxima terça-feira, dia 21/06/2011, às 09h30min, no auditório da Academia da Polícia Civil – ACADEPOL, situada na rua Delegado Osmar de Camargo s/n, Parque dos Poderes, Campo Grande-MS.

São esperados para a entrevista coletiva: 

  • Fabiano Goes Nagata, delegado de polícia da DEH, presidente do Inquérito Policial;
  • Ronaldo Rosa, médico-legista do Instituto de Medicina e Odontologia Legal;
  • Fabiano Delfino Moreira, perito-criminal do Instituto de Criminalística;
  • Maurilton Ferreira de Souza, perito papiloscopista do Instituto de Identificação.
Fonte: Site Polícia Civil

SIGA-NOS NO Costa Rica em Foco no Google News

Pode te Interessar